segunda-feira, 23 de abril de 2012

E se Você Sentisse Saudades de Você Mesmo (a)?





E se assim abruptamente você sentisse saudade?
...não de certas coisas que você deixou para trás.
...não de pessoas que ficaram para trás.
...não de objetos que ficaram para trás.
Se abruptamente você sentisse saudades, mas saudades de você mesmo quando você era você mesmo, o que você faria com o você de hoje quando sentes saudades do você de ontem?

Em princípio, a questão básica seria a seguinte: por você sentiu saudades?
Bom, a outra questão seria a seguinte: por que você sentiu saudades de você?
Uma terceira questão básica seria: em que você se transformou hoje que te fez sentir saudades do você de antes?

O você de ontem era melhor do que o você de hoje?
Sentiu saudades de você mesmo?

Tenho pensado nesta questão desde que ouvi  alguém dizer que tinha saudades de si mesmo.

Bom, se tenho saudades de mim mesmo é porque em algum lugar eu me deixei e me transformei em algo que não sou eu.

Talvez isso aconteça porque nos transformamos em algo que não somos pelos motivos errados.
E se fazemos isso a culpa não é de Deus.
...é nossa culpa.

Culpa! É uma palavra tão pesada não é?
Talvez porque a palavra "CULPA" tenha migrado do DIREITO para a Teologia. No Direito tem o sentido de sentença e na teologia, também.

Por que será que sentimos saudades de nós mesmos?

Escute: Você tem pensado em que direção caminham seus pés?
Será que se você for nessa direção, você não vai sentir saudades de ti mesmo?

O Mestre da Galiléia, Senhor e Salvador da vida minha, certa vez decarou: "O QUE ADIANTA GANHAR O MUNDO INTEIRO E PERDER A PRÓPRIA VIDA?".

O que adianta você sair nessa direção de uma forma desenfreada passando por cima de tudo e todos, se para isso, terás que lá na frente sentir saudades de ti mesmo?

Você já parou para pensar nisso?

Um dia desses que ficou para trás, ouvi um Ministro do Evangelho que admiro muito, dizer a seguinte frase: "A FELICIDADE PODE ESTAR EM NÂO TER".

Será que você é apto à entender isso?

Conceito dificil, não é?

Eu diria que isso é um verdadeiro escândalo para a teologia da prosperidade.
Mas, fala sério: e se você embarcar na jornada desses caras e lá na frente você sentir saudades de você mesmo?

Pessimista, eu?

As pessoas dividem-se em Otimista e Pessimistas? É isso?

E se o pessimista for prudente e não pessimista?
E se o Otimista for arrogante e não Otimista?

Será que não está na hora de pararmos e pensarmos?

Ah! Desculpa, os pessimistas são mal vistos pelos Otimistas não é?
...eu já passei da morte para a vida. E você?

Eu já senti saudades de mim mesmo, mas hoje, hoje não sinto mais.

Pense.








J.R.S